segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Quem é viva reaparece!



Oi amigas

Já faz tempo né, o tempo passou rapido, minha princesa ja fez um ano olha só!

Sou mãe e essa é a parte mais feliz de mim. Nada se compara... 
Falar sobre isso é complicado porque é uma coisa tão minha!! Como transmiti-lo por palavras?! Tenho tentado fazê-lo, mas fica sempre a sensação de que nada do que possa escrever chega perto do que sinto.
É um mundo completamente novo. Costumo dizer que a minha vida se divide em duas  fases, antes e depois maternidade. Na verdade não é tanto a vida que muda, somos nós que mudamos. – as férias que já não se podem fazer da mesma forma, as noitadas com os amigos, a simples ida ao cinema, os jantares a dois, o levantar tarde.. Não demorei para descobrir que, afinal, nada disso faz assim taaanta falta. Ver a nossa existência centrada num bebê pode parecer redutor, mas preenche-nos de uma forma surpreendentemente doce e aconchegante. Nada é mais delicioso que os momentos que partilho com a minha filha. Nessas ocasiões poderiam aliciar-me com tudo que eu não cederia um segundo do tempo que passo com ela. Nada nem ninguém me devolve de forma tão inocente e desinteressada aquilo que dou.
É uma alegria imensa feita de sorrisos e doçuras. Eu sou toda emoção. A qualquer momento do meu dia posso ser literalmente assaltada pela doce imagem da minha princesa. Em qualquer contexto a lembrança dela pode levar-me a alhear-me da realidade. Pode ser imperceptível para os outros, mas a emoção de ser mãe está sempre presente em mim. Não sou sequer daquelas mães que falam imenso das suas crianças, mas a minha filha está-me permanentemente na retina e no pensamento. Olhares mais atentos podem dar comigo a sorrir de forma meio pateta e descontextualizada. Se perguntarem, explicarei. Eu sei porque sorrio e é quanto me basta.
As sensações são as melhores do mundo! O quentinho do seu corpo, a forma como se enrosca e encaixa em mim, o seu toque, o seu olhar fixo, o seu sorriso doce... sinto-me especial por ser alvo de tanta ternura e agradeço a Deus todos os dias por isso. Mas o melhor, o melhor de tudo, é saber que estou apenas no início daquela que é a aventura da minha vida. A responsabilidade é enorme, os obstáculos existem e não vivemos num mundo cor-de-rosa. Tenho plena noção que eu sou apenas uma das inúmeras influências que marcarão a vida da minha filha. No entanto, naquilo que estiver ao meu alcance, não falharei. O meu empenho é total e a minha dedicação permanente. É o meu ponto de honra, o meu objetivo – fazer da minha princesa uma cidadã exemplar neste mundo de loucos. A minha divisa está escolhida. Parafraseando um senhor chamado Johann Goethe, "Ensinam-se as crianças a amar, amando-as..."
 
Beijooooxxx

0 deixe seu comentário!:

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário! Volte sempre!