sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Dicas para estimular seu filho - Parte 2

Bom dia!!!

imagem daqui

Continuando nossa dicas legais para estimular o desenvolvimento de seu filho, vai aí mais vinte dicas que você poderá fazer no seu dia a dia.

1 - Barulho do bem: Ninguém gosta do som estridente da sirene de uma ambulância – muito menos um bebê, que ainda não entende o que esse ruído representa. No entanto, os sons estranhos fazem parte da diversidade do mundo e crescer é aprender a conviver com isso. Não tenha medo de expor a criança a barulhos fortes de vez em quando, desde que você mostre para ela o que está produzindo esse som. Assim, ela aumenta cada vez mais o seu repertório e percebe que não há motivo para se assustar.
2 - Vamos dividir?: É natural da criança a partir de 1 ano e meio achar que tudo é dela. Por isso, a melhor maneira de domar esse egoísmo inato é apresentar situações em que ela precise aprender a dividir – e nada melhor do que a hora de comer para exercitar a partilha. Quando receber os amigos do seu filho em casa, ou mesmo entre irmãos, sirva alimentos que podem ser consumidos a partir de uma vasilha comunitária, como pipoca, cenouras tipo baby e gomos de mexerica. Deixe as crianças decidirem o lugar em que a vasilha vai ficar ou quem vai segurá-la.
imagem daqui
3 - Regras da vida: Seu filho vai conviver com muitas normas durante a vida: no trânsito, no trabalho, nas relações sociais. Por isso, é bom que ele se acostume aos pequenos imperativos do cotidiano desde cedo. A partir dos 2 anos, a criança já pode colocar a própria roupa suja no cesto, por exemplo. Aos 5, levar o próprio prato para a pia, e aos 8, ela já sabe que deve arrumar o quarto.
4 - Cooperativa S.A.: Mesmo que os pais desenvolvam tarefas em conjunto com os filhos, crianças se saem melhor quando interagem com outras crianças. Por isso, nada melhor do que atividades em grupo para que elas possam brincar (e aprender!) juntas. Pular corda, coisa que as crianças conseguem fazer por volta dos 4 anos, pode ser uma ótima chance de trabalhar em equipe: enquanto duas batem a corda, as demais se revezam para pular. Para definir os papéis a cada rodada, é essencial respeitar a vontade e o direito do outro. Se todas só quiserem pular, a brincadeira não vai para frente.
imagem daqui
5 - Entre amigos: Algumas crianças são mais falantes e extrovertidas, outras ficam com as bochechas coradas só de ouvirem o próprio nome. Tudo bem, cada uma tem um temperamento diferente e não há nada de errado com isso – desde que não esteja atrapalhando a vida social do seu filho. O ponto-chave é que, para interagir, qualquer pessoa precisa de segurança. Por isso, um bom começo é estimular que a criança conviva desde pequena e com frequência com gente conhecida, como primos e filhos de amigos. É a partir dos 4 anos que seu filho vai buscar brincar com outras crianças em pequenos grupos.
6 - “Ninguém me chamou”: Seu filho de 4 anos chega chateado da escola porque todo mundo foi convidado para o aniversário de um amigo, menos ele. Assim como seu filho não é tão querido por um colega, ele também não gosta de todo mundo da sala da mesma maneira. E não há problema com isso, desde que não falte respeito. Para que a rejeição não tenha um peso tão grande, incentive o seu filho a cultivar núcleos de amigos diferentes: na praia, no parquinho, no futebol. Assim, quando ele não se encaixar em uma turma, não vai ser o fim do mundo.
7 - Tente outra vez: Põe o dedo aqui quem gosta de ganhar! Todo mundo, lógico. Mas perder acontece. A derrota não deve ser encarada como um fracasso e sim como uma oportunidade de identificar os erros e se preparar melhor para superar o desafio. Por isso, incentive seu filho a tentar outra vez quando ele não for o campeão da partida e desvie o foco do resultado final para os momentos divertidos da brincadeira. A partir dos 6 anos, jogos de tabuleiro podem ajudar seu filho a desenvolver um espírito de competição saudável.
8 - Histórias do mundo: Você sabia que existe uma variação africana da história da Cinderela? Chama-se As Belas Filhas de Mufaro e conta a história das irmãs Manyara e Nyasha, escrita pelo americano John Steptoe, premiado autor de livros infantis. Compartilhar com o seu filho contos de diversos lugares pode mostrar a ele que, por maiores que sejam as diferenças culturais, os valores são os mesmos e os seres humanos continuam escrevendo sobre amor, alegria e tristeza em todas as partes do mundo. Depois de ouvir a história, que tal encená-la utilizando bonecos de cores de pele distintas, com vestimentas de materiais diferentes? Comente sobre a variedade de cores, formatos, texturas e tamanhos e ressalte o que cada um dos bonecos tem de mais interessante. Esse exercício é bom principalmente depois dos 7 anos, quando a criança já faz referência a estereótipos e preconceitos.
imagem daqui
9 - Brincadeira reciclável: Embalagens de alimentos costumam ser chamativas e atraentes, o que, logo de cara, pode despertar a curiosidade do seu filho. A partir dos 2 anos, ele tentará imitar atividades domésticas, então, peça ajuda para encher o saco de lixo reciclável – depois que as embalagens já estiverem lavadas, claro! – e explique que tudo o que vocês estão ensacando será transformado em novos objetos, em vez de parar na natureza.
10 - Cuidar é animal: Uma pesquisa do Instituto Max Planck revelou que crianças a partir de 3 anos já são capazes de se solidarizar com reclamações de pessoas próximas, procurando oferecer algum conforto a elas. Uma maneira de possibilitar que seu filho desenvolva esse “tomar conta” é trazer para a família um novo integrante – e não estamos falando de outro bebê! Com um animal de estimação, a criança aprende a zelar pelo outro, seja levando-o para passear ou ajudando a encher a tigela de ração. A partir dos 7 anos, ela pode ser responsável por algumas tarefas que envolvem seu novo amigo (que pode ser um peixe, um cachorro, uma calopsita...), mas ainda não tem condições de cuidar dele sozinho! Sentimentos pulsantes Medo, alegria, ciúme, raiva, ternura. Aos poucos, a criança aprende a reconhecer as próprias emoções, expressá-las e lidar com o que sente de maneira construtiva
11 - Frio na barriga: Aos 7 meses, seu filho começa a sentir medo na presença de estranhos, aos 8, teme quando os pais não estão por perto e, aos 9, sofre de ansiedade pela separação. Mostre que, mesmo que você saia para trabalhar, vai voltar. Uma boa ideia é oferecer um objeto que substitua a presença da mãe (pode ser um bichinho de pelúcia ou um paninho). Dos 2 aos 6 anos, crianças podem ter pesadelos, medo de bruxas e fantasmas. Como o medo é irracional, nem sempre pode ser combatido com uma explicação lógica, você pode recorrer a soluções “mágicas”. Acenda um abajur espanta bruxas ou coloque meias que manterão os fantasmas bem longe! Permita que seu filho manifeste seus temores, por exemplo, desenhando ou encenando situações que fazem as pernas tremerem.
12 - De olhos fechados: Estabelecer relações de confiança é importante para o desenvolvimento da criança. E as primeiras pessoas com quem ela faz isso são os pais. Para isso, um fator é essencial: jamais mentir. Se a criança vai ao médico para tomar uma vacina, nem pense em dizer que vocês vão apenas a um passeio. Se ele perguntar se a injeção vai doer, seja sincero e diga que vai, sim, mas vai passar. Os especialistas estão todos de acordo: desde bebê, explique tudo. Fale que vai molhar, que vai doer, que vai estar frio, assim seu filho sabe o que o espera e acredita no que você diz.
imagem daqui
13 - “Mas eu quero!”: Se jogar no chão, chorar até perder o fôlego, gritar: não é difícil reconhecer quando seu filho tem um ataque de birra. Normalmente, ele faz isso para tentar conseguir o que quer – e faz parte do crescimento entender que nem tudo vai obedecer à vontade dele. Nessas horas, a palavra de ordem é: calma! Coloque a criança no colo e diga que você está triste, que não gostou do comportamento dela e que, por isso, o passeio acabou. De acordo com um estudo brasileiro, 54% dos pais usam a conversa para estabelecer limites. É importante se manter firme depois de dizer “não”, porque, se você ceder, ele vai achar que esse é um bom método para fazer você mudar de ideia, mesmo que ainda tenha menos de 1 ano de idade.
14 - Por conta própria: A partir dos 2 anos, já dá para deixar seu filho responsável por carregar sua própria mochila ou levar seu casaco. Não se trata de obrigar a criança, mas sim de possibilitar que ela vá experimentando e conquistando autonomia. Assim, a criança aprende a ter responsabilidade sobre o que é seu.
15 - Em construção: Brinquedos de empilhar podem ajudar seu filho a desenvolver o autocontrole. Desde os 2 anos, ele já consegue amontoar três blocos, um sobre o outro. As crianças ficam superorgulhosas em ver os blocos coloridos chegando cada vez mais alto, mas a gente sabe que essa obra-prima da engenharia não vai durar muito tempo. É compreensível que o seu filho se irrite por ver tanto esforço perdido quando a torre incrível que construiu se estatelar no chão. Nessa hora, tente acalmá-lo, dê um abraço apertado e o encoraje a começar outra vez.
16 - Falar de sentimentos: Seu filho vai enfrentar diversas situações frustrantes, como ter de esperar a comida ficar pronta ou não poder sair para brincar por causa da chuva. Seu papel é ajudá-lo a expressar o que está sentindo, para aprender a lidar com as próprias reações. Uma dica é inventar uma história em que haja uma situação similar à vivida. Aos 3 anos, a criança usa palavras para expressar emoções, então, crie “falas” que transmitam o que ela (ops!) o personagem está sentindo. Para os maiores, entre 7 e 8 anos, uma boa ideia é dar de presente um diário, para que eles registrem tudo o que pensam de si mesmos e do mundo. Com essa idade, as crianças começam a reconhecer seus próprios sentimentos e, por vezes, preferem não compartilhá-los com os pais. Mas ainda assim, não desista de perguntar, observe e mostre que você se importa.
17 - Fora do ninho: Dormir fora de casa contribui para o desenvolvimento da independência da criança e é importante para ela perceber que possui tal autonomia. Autorizar ou não o programa depende do quanto você conhece a família anfitriã e, claro, do principal: o seu filho quer ir? Se ele estiver hesitante, não insista. Ele pode não estar pronto. Por volta dos 5 anos, os convites começarão a surgir e ele já terá condições de passar uma noite longe da própria cama.
imagem daqui
18 - Foi sem querer: Sua filha de 5 anos está arrumando meticulosamente sua coleção de bonecas no sofá, quando o irmão mais novo chega e derruba tudo. Ela vai ficar furiosa! Isso acontece porque entre os 2 e os 7 anos, a criança julga os atos dos outros pelas consequências e não pela intenção com que eles foram praticados – esse é o motivo de tantos desentendimentos entre os pequenos! Mostre que a outra criança não teve a intenção de agir assim, reforce que não foi de propósito e ajude-a a remendar o estrago.
19 - Aprendendo a esperar: A fila da montanha-russa ou para encontrar o Papai Noel é uma ótima chance do seu filho (e de você também) exercitar a paciência. Nesses “intervalos”, cantar, imitar movimentos e inventar brincadeiras com palavras podem ser boas ideias para o seu filho aprender a esperar a vez sem se aborrecer. A partir dos 6 anos, quando as crianças já dominam os sons e têm maior consciência gramatical, trava-línguas podem ser uma boa ideia para o tempo passar mais depressa.
20 - Reforce o lado bom: Manere na hora de censurar as crianças, principalmente os menores. Segundo um estudo da Universidade de Leiden, na Holanda, crianças de até 8 anos aprendem com os elogios, mas não absorvem críticas. Parabenize seu filho quando ele for bom em alguma coisa, incentivando-o a continuar. Se dar bronca for realmente necessário, preste muita atenção à maneira de fazê-lo. Dizer “como você é malcriado” é bem diferente de falar “como você está malcriado”! Não deixe a criança pensar que o traço criticado faz parte da personalidade dela, assim, não vai incorporar essa característica à sua autoimagem.


Pronto, essas são as dicas que você pode praticar com seu filho e vivenciar seu desenvolvimento acontecer!

Beijinhos Alê

Fonte: Crescer

5 deixe seu comentário!:

Lin Shijun disse...

shijun 6.27
coach outlet
jordan shoes
michael kors
coach outlet online
oakley sunglass
kate spade purses
michael kors outlet
new jordans
jordan 4 retro
white timberland boots
hollister
louis vuitton handbags
coach factory outlet
tod's outlet
ralph lauren outlet online
christian louboutin shoes
louis vuitton handbags
nfl jerseys
celine luggage tote
pandora rings
wholesale nfl jerseys
tods sale
insanity dvd sale
cheap chanel handbags
louis vuitton outlet
coach factory outlet online
ray ban wayfarer
michael kors outlet
christian louboutin sale
jordan shoes
ray ban aviators
toms.com
louis vuitton handbags
lululemon outlet
soccer jerseys
marc jacobs
jordan 11 columbia
dior outlet store
polo ralph lauren
michael kors handbags

陈晓 disse...

crx123
repo moncler women jackets hollister uggs markets- salomon free run nike air max as
well lululemon ray ban

sunglasses
swarovski as nike free michael kors outlet ray ban the ralph lauren outlet gucci outlet woolrich jackets outlet number jimmy choo shoes true

religion outlet
chanel outlet of swarovski canada horloges baseball bats trading instyler ionic

styler
pandora jewellery australia rayban participants coach outlet online new balance nike roshe run

experienced gucci outlet nike

air max
ferragamo shoes further kate spade hollister nike growth
in louboutin shoes prom dresses coach factory outlet 2004.
"Despite mont blanc toms

shoes outlet
prada outlet the lululemon australia calvin klein underwear uggs outlet global northface michael kors outlet online sale

moncler jackets sale stagnation burberry nike roshe oakley in tory burch sale

Pnane Weg disse...

north face
christian louboutin
pink jordans
fitflops
cheap michael kors bags
nike outlets
canada goose coats
fendi sunglasses
air jordan 13
fitflop shoes sale
burberry outlet
juicy couture
kate spade outlet
under armour sale
canada goose jacket outlet
coach purses outlet
lebron 12
canada goose
canada goose jackets
jordans for women
nike air max
fitflop outlet store usa
coach outlet online
north face
gucci belts
michael kors handbags
replica rolex watches
gucci outlet
jordan 12
burberry sale
coach outlet online store
marc jacobs bags
coach sale
nike free
jordan shoes
michael kors watches discount outlet
michael kors handbags
nike online
celine bags
coach factory outlet
nike
the north face outlet
new balance
ugg boots sale
hermes
under armour shoes
1127.qwe

Hua Cai disse...

ray ban sunglasses
oakley sunglasses
michael kors clearance
calvin klein underwear
christian louboutin uk
ralph lauren polo
mulberry outlet
true religion jeans
michael kors factory outlet
tiffany jewellery
ralph lauren polo
pandora jewelry
kate spade uk
michael kors handbags
kobe shoes
burberry outlet
lululemon outlet
louis vuitton outlet
oakley sunglasses
longchamp outlet
herve leger outlet
fitflop clearance
tory burch outlet
cheap nfl jerseys
cheap oakley sunglasses
polo ralph lauren
christian louboutin online
ray ban sunglasses
ugg boots
nike huarache
rolex watches
snow boots
lacoste polo shirts
ferragamo shoes
swarovski crystal
roshe run
the north face
lebron james shoes
coach outlet
coach outlet
20151229caihuali

Gege Dai disse...

longchamp pas cher
michael kors handbags
ray ban sunglasses
michael kors outlet
reebok outlet store
cheap replica watches
christian louboutin outlet
hollister
adidas uk store
michael kors outlet
mcm backpack
michael kors handbags
nike air max 90
tory burch outlet online
bottega veneta outlet
mbt shoes outlet
hermes belt for sale
longchamp outlet
toms outlet
michael kors outlet
lebron shoes
rolex watches
christian louboutin outlet
cheap ray ban sunglasses
ferragamo shoes
oakley sunglasses
tiffany and co
ralph lauren shirts
gucci outlet
burberry outlet
mont blanc pens
cheap michael kors handbags
nba jerseys
louis vuitton outlet
hollister shirts
chanyuan0623

Postar um comentário

Obrigada pelo seu comentário! Volte sempre!